Materiais pedagógicos impressos

Para a exposição “Arqueologia em Questão: Percorrendo o Litoral Catarinense” foram elaborados dois materiais pedagógicos impressos. Estes são distribuídos gratuitamente no contexto da visita mediada com grupos agendados, de acordo com a faixa etária dos visitantes.

 

capa livro

Era uma vez no MArquE é um livreto de literatura infantil que se articula ao tema da exposição por contar a história do boneco Marquito, que é formado pelos materiais de trabalho de um arqueólogo. O texto foi escrito e musicado pela pedagoga com inspiração no trabalho da Cia Mafagafos de contadores de histórias sobre os livros “Maneco Caneco Chapéu de Funil” e “Panela de Arroz”, de Luis Camargo.

 

A história foi uma estratégia de interação com os públicos infantis elaborada ainda no ano de 2013. Foi contada oralmente com a utilização do boneco (que se constitui durante a história) desde então para os grupos de educação infantil e dos 1° e 2° ano do Ensino Fundamental para tratar de maneira lúdica do trabalho do arqueólogo.

Uma vez que o retorno das crianças foi muito positivo, no ano de 2014 pensou-se em seguir com as contações durante as visitas à exposição, mas também oferecer o texto escrito e ilustrado para que as crianças levassem para casa um pouco do que vivenciaram no Museu, de forma a aumentar seu sentimento de pertencimento e familiaridade com o espaço.

A contracapa do material é composta por ilustrações de cada um dos objetos que compõem o Marquito, assim como as instruções para a montagem de um boneco articulado a partir do recorte e montagem destas com colchetes.

 

Ficha técnica:

Concepção Pedagógica e Texto: Flora Bazzo Schmidt

Ilustrações: Cristina Colombo Nunes

Concepção gráfica e diagramação: Luciano Patrício Souza de Castro e Monique Koerich

 

capa caderno

 

O caderno de atividades teve como público alvo na sua elaboração os estudantes do sexto ano do Ensino Fundamental. Tal opção partiu do reconhecimento de que é neste momento da escolarização que o tema da arqueologia consta no currículo escolar, na disciplina de história. Como primeiro passo, foram analisados os excertos de materiais didáticos que tratam sobre o tema, e percebeu-se que este costuma ser abordado como algo distante da realidade dos escolares, mais ligado ao Egito e à Grécia antiga.

Se por um lado o Museu é compreendido como espaço de educação não-formal que tem especificidades que o diferenciam dos espaços escolares, por outro o diálogo com as escolas, que são hoje nosso público visitante principal, é um caminho muito rico. Nesse sentido, buscou-se constituir um material que não tivesse o formato e a rigidez de um material didático, mas pudesse contribuir para uma aproximação dos estudantes de sexto ano com a realidade da arqueologia brasileira e dos povos que viveram no litoral catarinense no tempo pretérito.O material foi pensado tanto para se constituir como material paradidático, um recurso com o qual os professores possam dar seguimento aos aprendizados da visita em sala de aula, quanto para os estudantes explorarem sozinhos quando não for o caso. Utilizamos ainda, para a elaboração do material, orientações contidas nos Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino de história neste ciclo.

Buscou-se incorporar certa ludicidade às proposições, resguardando o fato de que esta não poderia se sobrepor à intencionalidade educativa do material. Assim, optou-se por priorizar proposições formativas que integrassem a observação das formas e objetos e a relação passado-presente ao conteúdo formal apresentado pela exposição

O público alvo da distribuição foi ampliado no contexto das mediações, tendo contemplado grupos a partir do terceiro ano do ensino fundamental (desde que estivessem trabalhando a temática em sala, tendo construído bases que permitiriam às crianças compreender o teor dos textos), até grupos de Educação de Jovens e Adultos. Foram entregues 1.100 exemplares de agosto a dezembro de 2014, de uma tiragem de 2.000 exemplares.

 

 

 

Ficha Técnica:

Concepção pedagógica:Flora Bazzo Schmidt

Concepção gráfica e diagramação: Luciano Patrício Souza de Castro e Monique Koerich

Revisão de Conteúdo: Luciane Zanenga Scherer (curadora)